Relatório Semanal – Al Brooks – 14/12/2019

Pequeno rompimento no Emini, acima do topo do canal de alta que já dura 13 anos

14 de dezembro de 2019, por Al Brooks

Visão Geral de Mercado: Atualização de Final de Semana

O Emini finalmente rompeu acima dos topos dos canais de alta dos gráficos diário, semanal e mensal. Os compradores querem que o ano tenha seu fechamento na máxima, após abrir na sua mínima. Uma vez que ainda não há um topo claro, o Emini provavelmente apresentará movimentação de lateral a ascendente ao longo do mês de dezembro.

Os T-bonds de 30 anos estão em uma lateralidade estreita há 9 semanas e em uma lateralidade maior que já dura 4 meses. Estão, portanto, em Modo Rompimento. É provável que os preços apresentem mais movimentação lateral.

O gráfico semanal do par EURUSD apresentou na sexta-feira uma reversão para baixo motivada pela realização de lucros. Os compradores alcançaram o seu objetivo: duas pernas de alta até a linha de tendência de baixa, após o fundo em forma de cunha aninhada1 ocorrido em 1º de outubro. Pode corrigir um pouco na próxima semana, mas é provável que a lateralidade de 5 meses continue.

 

Gráfico semanal do mercado futuro de T-bonds de 30 anos:

Lateralidade estreita de 9 semanas no gráfico semanal

Legendas:

Bandeira de baixa em forma de topo duplo

Fundo duplo na média móvel

Topo duplo e fundo duplo após clímax de compra, portanto confusão que torna mais provável uma lateralidade

Modo Rompimento

 

O gráfico semanal dos T-bonds de 30 anos virou pra baixo na penúltima semana, após fazer uma barra externa de baixa. Nesta última semana, os preços foram abaixo da mínima daquela barra externa e, portanto, acionaram um sinal de venda minoritário.

Porém, houve uma reversão de alta na última sexta-feira e o candlestick da semana apresentou um pequeno corpo de alta. Esta última semana é, então, apenas mais uma barra em uma lateralidade estreita que já dura 9 barras. Uma vez que o corpo da barra é pequeno e há uma sombra significativa no topo, a última semana fez uma barra fraca de sinal de compra. Provavelmente, haverá vendedores não muito acima da máxima dessa última semana. Assim, é provável que isso não seja o início de um movimento majoritário de alta.

Não há sinal, no gráfico semanal, de que o mercado de títulos esteja a ponto de romper para cima ou para baixo. Porém, a última sexta-feira apresentou uma grande barra de alta no gráfico diário. Haverá provavelmente alguma continuidade de compra na próxima semana.

Lateralidade estreita de 9 semanas e, portanto, Modo Rompimento

Uma lateralidade estreita de 9 semanas é um padrão de Modo Rompimento. Há sinais confiáveis tanto na compra quanto na venda. Com muita frequência, ocorre um pequeno fundo duplo e também um pequeno topo duplo. E esse é o caso agora.

É importante entender que não ocorre um rompimento até que de fato o rompimento aconteça. Reversões seguidas a cada duas semanas são mais prováveis do que um rompimento bem-sucedido.

Tendo em vista que a lateralidade está com uma amplitude de aproximadamente 7 pontos, os traders esperam que, após um rompimento, haja um movimento de 7 pontos acima ou abaixo dessa lateralidade. Eles devem entender que a probabilidade é mais ou menos a mesma tanto para os compradores quanto para os vendedores. Além disso, o primeiro rompimento pra cima ou pra baixo tem uma probabilidade de 50% de reverter.

Não se esqueça do gráfico mensal. Eu disse diversas vezes que ele tem feito um topo majoritário ao longo dos últimos vários anos. Ainda não há uma reversão forte de baixa. Além disso, os compradores podem conseguir uma nova máxima minoritária. No entanto, os preços dos títulos cairão, e as taxas de juros subirão, nos próximos 20 anos. O topo em forma de cunha aninhada no gráfico mensal é forte e claro.

Queda sem força normalmente resulta em lateralidade

Ainda que o gráfico semanal esteja apresentando movimentos descendentes há 4 meses, a queda é fraca. Ela carece de grandes barras de baixa consecutivas fechando próximo de suas mínimas. Adicionalmente, tivemos várias barras de alta fechando perto de suas máximas no gráfico semanal, desde o topo que ocorreu em agosto. Ainda, há muitas barras que possuem sombras significativas e que se sobrepõem a uma ou duas barras anteriores. Finalmente, há reversões a cada 1 ou 2 semanas.

Quando uma queda possui essas características, tipicamente ela não vai muito longe. Esse tipo de movimentação de preços é mais comum de se ver quando a queda é uma perna de baixa naquilo que se tornará uma lateralidade.

Uma lateralidade também possui pernas de alta. Portanto, os traders continuarão buscando por reversões minoritárias a cada 2 ou 3 semanas.

Uma vez que não há compras ou vendas sustentáveis, os traders estão realizando lucros rápidos. Enquanto o gráfico semanal está apresentando uma tendência de baixa nascente, essa tendência está dentro de um canal bem amplo de baixa. Ela também é uma bandeira de alta. Os traders a operam mais como uma lateralidade do que propriamente como uma tendência de baixa. Eles compram baixo, vendem alto e realizam lucros rapidamente.

Gráfico semanal do par EURUSD no mercado Forex:

Realização de lucros após uma segunda perna de alta a partir de um fundo em forma de cunha aninhada

Legendas:

Segunda perna de alta a partir de um fundo em forma de cunha

Rali em forma de cunha até a resistência na linha de tendência de baixa e no grande número redondo de 1,12

Lateralidade de 5 meses, ainda em Modo Rompimento

 

O gráfico semanal do EURUSD reverteu para cima a partir de um fundo em forma de cunha aninhada ocorrido em 1º de outubro. O rali2 de 3 semanas em outubro foi o mais forte em 2 anos no gráfico semanal. Consequentemente, era provável que os compradores conseguissem pelo menos uma pequena segunda perna, de lateral a ascendente. O rali das últimas semanas cumpriu essa expectativa mínima.

 

O próximo alvo importante para os compradores é a máxima de 21 de outubro. Se os compradores conseguirem dois fechamentos acima dela, tentarão um rompimento acima da máxima de 25 de junho. Esta última é uma máxima mais baixa majoritária. Quando um rali vai acima de uma máxima mais baixa majoritária, os traders concluem que a tendência de baixa se converteu em uma lateralidade ou em uma tendência de alta.

 

Os vendedores sabem das implicações disso tudo. Por isso, eles farão um esforço grande para evitar fechamentos consecutivos acima de resistências. Especialmente em relação a resistências majoritárias.

 

Realização de lucros na resistência

Por mais de um mês, tenho dito que o rali testaria a linha de tendência de baixa que já dura 14 meses, e provavelmente a máxima de outubro. Ele foi acima desses dois pontos na última sexta-feira. Eu também disse que testaria o importante número redondo de 1,12. A máxima de sexta-feira foi exatamente 1,12.

O par EURUSD reverteu para baixo no gráfico diário (não mostrado aqui), na mesma sexta-feira, indicando que os compradores realizaram lucros. Os compradores não estavam comprando na máxima e, assim, não apostaram em um rompimento bem-sucedido. Haverá provavelmente alguma continuidade de vendas na próxima semana.

Adicionalmente, os vendedores entraram, apostando que os compradores sairiam de suas posições. Sexta-feira fez, então, uma barra de sinal de venda no gráfico diário. Porém, o gráfico ainda está em uma lateralidade de 5 meses. Se houver um movimento de queda, ele provavelmente durará de 2 a 3 semanas e testará a mínima de novembro.

Ainda que os vendedores façam o preço ir abaixo da mínima de outubro, os compradores entrarão em uma reversão para cima. Essa tem sido uma estratégia lucrativa durante 2 anos e a probabilidade está a favor de que ela funcione novamente.

Provável lateralidade por muitos meses

Ao mesmo tempo em que os compradores não fizeram muito para criar uma tendência de alta, o canal semanal de baixa nunca foi de fato forte. Os compradores continuam entrando em reversões de alta, a partir de novas mínimas, assim como têm feito ao longo do ano que passou.

Mas o que dizer do potencial de alta? O rali que durou 2 meses não foi especialmente forte. O gráfico diário está em uma lateralidade que já dura 5 meses. Os traders esperam uma continuidade dessa lateralidade de 5 meses, ao invés de um forte rompimento para cima ou para baixo. Eles continuarão a buscar reversões a cada 2 ou 3 semanas.

Isso continuará válido se o canal de baixa se mantiver ou se o par EURUSD estiver nos primeiros estágios de uma tendência de alta. Os compradores precisam de um rompimento forte e implacável, antes de decidirem comprar alto e segurar a posição por meses. Isso não é provável após o primeiro rompimento acima de um canal estreito de baixa.

O par EURUSD provavelmente ficará em uma lateralidade por, pelo menos, alguns vários meses. Neste momento, ele está procurando definir o topo dessa lateralidade.

 

Gráfico mensal do Emini (S&P500):

Pequeno rompimento acima do topo do canal de alta que já dura 13 anos

Legendas:

Rali forte até logo acima do topo do canal de alta de 13 anos

Pelo menos, preços ligeiramente mais altos são prováveis

Vendedores querem uma reversão pra baixo, mas provavelmente precisarão de um micro topo duplo

 

O gráfico mensal do Emini (S&P500) finalmente rompeu, na última quinta-feira, acima do topo de seu canal de alta que já dura 13 anos. O rompimento é pequeno até agora, mas ainda faltam vários dias até o final do mês.

Eu já vinha dizendo durante alguns meses que o rompimento era provável. Mas também tenho dito que há somente 25% de chance de um rompimento bem-sucedido acima do topo de um canal de alta. Quando falo sobre um rompimento acima do canal de alta me refiro a uma aceleração ainda mais forte da tendência de alta. O exemplo mais dramático foi no gráfico mensal de 1995. Ali, o rompimento acima de um canal de alta levou a uma tendência de alta ainda mais forte.

Em 75% dos casos, há uma reversão de volta para o canal, que ocorre em até 5 barras. Um exemplo de uma reversão a partir de uma falha de rompimento acima de um canal de alta ocorreu em janeiro de 2018 no gráfico semanal. O Emini, após aquela reversão, caiu 20% e ficou lateralizado por quase 2 anos.

Cinco barras no gráfico mensal é quase meio ano. Assim, o Emini poderia continuar o seu movimento de alta por mais vários meses, antes de apresentar uma reversão.

 

Rompimentos normalmente ultrapassam linhas de tendência ou de canal, antes de reverter

Um rompimento de uma linha de tendência ou de uma linha de canal no gráfico mensal normalmente segue vários pontos percentuais além da linha, antes de reverter. Portanto, o atual rali poderia continuar por 100 pontos ou mais, antes que ocorra um swing de baixa.

Um swing de baixa não significa uma tendência de baixa. Com mais frequência, a reversão de baixa a partir de um ponto acima de um canal de alta se torna o início de uma lateralidade. Um alvo comum é o meio do canal.

O gráfico mensal está em uma lateralidade que já dura 2 anos. Em 2019, houve uma lateralidade menor de 7 meses, dentro daquela lateralidade maior. O fundo da lateralidade menor é a mínima de junho, por volta dos 2800. Se houver uma reversão de baixa dentro dos próximos 6 meses, isso criaria um outro nível razoável de suporte.

 

Gráfico semanal do Emini (S&P500):

A última semana acionou um sinal de compra por conta de uma bandeira de alta em forma de H1

Legendas:

Rompimento acima do topo do canal de alta que já dura 1 ano

A barra de sinal de compra da penúltima semana foi um doji, portanto um setup fraco de compra

Vendedores querem uma falha de rompimento acima do canal de alta

Eles precisam de uma barra de tendência de baixa na próxima semana para um setup de venda por conta de um micro topo duplo

É provável que haja movimentação de lateral a ascendente

 

O gráfico semanal do Emini (S&P500) finalmente corrigiu há duas semanas trás, após 9 semanas sem qualquer correção. Eu disse que um micro canal de alta de 9 barras significa que os compradores estão muito confiantes e entram por qualquer razão.

Essa é a razão pela qual tenho dito, por mais de um mês, que a primeira correção nesse micro canal duraria apenas de 1 a 2 semanas, e faria o mercado cair apenas de 50 a 100 pontos. Eu disse que os compradores estariam ansiosos por finalmente poderem entrar abaixo da mínima da semana anterior. E foi o que aconteceu. O Emini reverteu fortemente para cima, a partir de uma queda de 85 pontos há 2 semanas atrás.

Uma vez que a penúltima semana foi uma correção numa forte tendência de alta, ela também foi uma barra de sinal de compra em forma de H1. Eu disse na ocasião que está última semana provavelmente iria acima da máxima da penúltima semana e acionaria o sinal de compra. Além do mais, eu disse que a máxima histórica ocorrida há duas semanas estava somente alguns pontos acima. Isso fazia com que fosse provável que um rompimento acima da máxima daquela penúltima semana levasse também a um rompimento em direção a uma nova máxima histórica. Foi isso o que aconteceu na quinta-feira.

Sinal de compra em tempo gráfico maior normalmente tem uma correção

Na última quinta-feira, em minha sala de chat, eu falei como o rali era forte e como ele havia rompido bem acima da máxima da penúltima semana. Mas eu também disse que quando um sinal de compra em tempo gráfico maior é acionado, há normalmente uma correção até um nível abaixo do topo da barra de sinal de compra. Apesar do rali de quinta-feira ter ido cerca de 25 pontos acima da máxima da semana anterior, o Emini caiu brevemente até um preço abaixo daquela máxima.

Houve outro ponto que mencionei na semana passada. Eu disse que quando uma barra de sinal de compra possui um corpo pequeno e uma sombra grande, o setup é fraco. Isso normalmente resulta em uma barra fraca de entrada. Uma barra fraca de entrada possui uma sombra grande ou possui um corpo de baixa.

A última semana apresentou uma sombra significativa no topo, e isso era provável. Porém, o gráfico semanal ainda está em uma forte tendência de alta. Portanto, as chances ainda favorecem preços mais altos, ainda que o Emini fique lateral, ou corrija, por uma ou duas semanas.

 

Gráfico diário do Emini (S&P500):

Pequena barra de continuidade de alta, após o forte rompimento de quinta-feira

Legendas:

Barra de continuidade de alta na sexta-feira, após um forte rompimento na quinta-feira

Movimentos de laterais e ascendentes são prováveis

Vendedores querem um topo duplo ou um topo de triângulo expandido, mas precisam de uma forte barra de sinal de venda ou de uma forte reversão de baixa

 

No gráfico diário do Emini (S&P500) houve, na última quinta-feira, um forte rali até um preço acima do topo de um canal de alta que já dura 13 anos. Na sexta-feira, tivemos uma barra com corpo de alta e, portanto, ela confirmou o rompimento. Isso aumenta as chances de, pelo menos, preços ligeiramente mais altos ao longo do mês de dezembro. No entanto, a barra de quinta-feira foi climática e podemos ver alguns dias de movimentos de laterais a descendentes, antes de vermos preços mais altos.

O gráfico mensal está no topo de seu canal de alta, o que é uma resistência. Mas a próxima resistência importante no gráfico diário é um alvo de movimento projetado baseado no fundo duplo criado pelas barras de 5 de agosto e 3 de outubro. O movimento projetado leva ao preço de 3216.

Se o Emini reverter para baixo, antes de atingir aquele alvo, os traders dirão que ele formou um topo dentro de um triângulo expandido. As barras de 19 de novembro e de 27 de novembro são as outras duas máximas formando esse padrão. Como o espaço entre a segunda máxima e essa última máxima é muito maior do que o espaço entre as duas primeiras máximas, os traders concluirão que o padrão não é confiável.

Provavelmente qualquer reversão de baixa será minoritária

O que acontecerá se o Emini fizer uma reversão de baixa no gráfico diário durante o próximo mês? Os primeiros alvos são sempre a linha de tendência de alta, a média móvel exponencial, e a última mínima mais alta, que ocorreu em 3 de dezembro. Quando há uma reversão de baixa a partir de um topo de triângulo expandido, o primeiro alvo é o fundo do triângulo, que está na mínima de 3 de dezembro.

Abaixo disso, o suporte está no ponto de rompimento. Tal ponto é a linha de pescoço do fundo duplo, que está na máxima do dia 19 de setembro, nos 3027,25.

Quando a tendência de alta é tão forte quanto essa tendência de 2019 tem sido, os traders esperam que as reversões sejam minoritárias. Isso significa que uma lateralidade é mais provável do que uma tendência de baixa. Assim, os traders devem esperar preços de laterais e ascendentes nos próximos dois meses. Qualquer reversão de baixa será provavelmente minoritária.

 

1 Nota de tradução: o termo aninhada(o) (nested) denota a formação de um padrão menor dentro de um padrão igual, mas maior. Assim, o termo “cunha aninhada” (ou nested wedge, no original em inglês) representa a formação de uma cunha menor dentro de um período no qual ocorreu a formação de uma cunha maior. Em outras palavras, uma cunha dentro de outra cunha.

2 Nota de tradução: a palavra “rali” aqui é usada com o mesmo sentido da palavra inglesa rally, que denota um movimento de alta.

* Esta tradução livre para o português tem fins exclusivamente didáticos, foi autorizada por Al Brooks e não pode ser reproduzida ou utilizada de nenhuma forma sem autorização expressa do autor ou editor, exceto para uso em citações breves e desde que com a devida citação da fonte em sua reprodução. O texto original em inglês pode ser encontrado no seguinte link do website do autor: https://www.brookstradingcourse.com/market-analysis/emini-small-breakout-top13-year-bull-channel/.

 

Tradução: Filipe Mano (Aluno do Treinamento ao vivo)

Copyright © 2019 de Al Brooks Todos os direitos reservados. Este artigo ou qualquer parte dele, assim como qualquer mídia relacionada, não pode ser reproduzido ou utilizado de nenhuma forma sem autorização expressa, do autor ou editor, exceto para uso em citações breves, com a devida citação da fonte. O uso não autorizado configura crime.

Deixe uma resposta